NOTA REAJUSTE EXTRAORDINÁRIO DA TARIFA

NOTA REAJUSTE EXTRAORDINÁRIO DA TARIFA - A Companhia Energética de Brasília (CEB) tem apresentado, desde 2015, resultados que atestam a eficiência da gestão da empresa tanto em relação aos dados econômicos-financeiros quanto à qualidade do serviço de distribuição de energia no Distrito Federal. Além dos números positivos da Holding, a CEB Distribuição também vem apresentado lucro anualmente (R$ 37 milhões em 2015; R$ 50 milhões em 2016; R$ 49 milhões em 2017) e reduzindo o prejuízo acumulado de R$ 344 milhões, em dezembro de 2014, para R$ 208 milhões, em dezembro de 2017.

 

A melhoria dos indicadores de qualidade e continuidade dos serviços prestados pela CEB Distribuição também atestam a competência da gestão da empresa. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) verifica a qualidade dos serviços por meio dos indicadores DEC (duração da falta de energia) e FEC (frequência com que falta energia). Esses indicadores da CEB Distribuição são os mais baixos da história da empresa e, desde 2016, estão abaixo dos limites estabelecidos pela ANEEL.

 

A satisfação dos clientes da CEB Distribuição com os serviços prestados pela empresa pode ser certificada por pesquisas independentes, entre elas, da própria ANEEL. Na edição de 2017, a CEB Distribuição recebeu o prêmio Índice Anual de Satisfação do Consumidor (IASC) de melhor distribuidora da região Centro-Oeste. No ranking nacional, a CEB Distribuição saltou da 18ª, em 2016, para a 9ª posição, em 2017, entre as grandes concessionárias de distribuição de energia elétrica do país.

 

O que ocasionou a defasagem no fluxo de caixa da CEB Distribuição foi a necessidade de arcar, com recursos próprios, com o custo da energia que deveria estar coberto pelo recurso destinado aos custos intitulados pela ANEEL como não gerenciais da empresa. Ou seja, a CEB Distribuição teve de arcar com o alto custo para comprar energia por um preço muito mais elevado que o previsto pela ANEEL na tarifa vigente até a última quinta-feira. E a CEB Distribuição suportou esta conta, de R$ 400 milhões, até quando pode. A Aneel, em reunião pública realizada em 27/03/18, reconheceu que o modelo atual do segmento de energia prejudica as distribuidoras que, nestes casos acabam, financiando todos os encargos.

 

Importante destacar que, ao conceder reajuste extraordinário, a ANEEL reconheceu que os custos adicionais significativos não são oriundos de ineficiência gerencial, mas da dificuldade de a empresa atuar perante fatores meramente setoriais.

 

A prestação dos serviços de energia elétrica (Geração, Transmissão e Distribuição) é concedido, regulamentado e fiscalizado pelo Governo Federal. E os reajustes tarifários são concedidos por critérios técnicos.

 

A CEB Distribuição reconhece os impactos econômicos que reajustes de itens essenciais, como energia elétrica, trazem à vida dos cidadãos e agradece a oportunidade de esclarecer à sociedade e a todos os seus clientes reforçando seu compromisso de atuar de forma justa e transparente.



Voltar