Diretoria da CEB- DIS se reúne com representantes do STIU

 Na segunda feira (27), o Diretor-geral da CEB-DIS, Edison Garcia, acompanhado dos diretores Armando Casado e o Diretor Técnico da CEB, Fabiano Cardoso, se reuniu com integrantes do Sindicato dos Urbanitários – STIU-DF. Durante o encontro, foi discutido a apuração dos indicadores de eficiência referentes ao exercício 2018-2019, bem como sobre o andamento do processo de desestatização da Companhia e seus impactos no bem-estar dos trabalhadores. O STIU manifestou preocupação sobre a insegurança dos empregados.

 

Edison Garcia relatou que a área de Recursos Humanos está atenta, monitorando o quadro funcional de forma a oferecer o melhor suporte possível durante esse processo. “Esse processo gera instabilidade, insegurança, e a área de gestão de pessoas está monitorando os trabalhadores da empresa. Solicitei da equipe total atenção para que possamos mitigar os efeitos dessa instabilidade”, disse. 

 

Na ocasião, foi questionado pelo STIU o andamento de um procedimento de sindicância, instaurado em 2019 e que o sindicato alegava ter sido desarquivado.  Também foi questionada a situação do servidor João Carlos Dias Ferreira, atualmente afastado do cargo de diretor de Benefícios da FACEB, por decisão da PREVIC, órgão regulador de fundos de pensão vinculado ao Ministério da Economia, e confirmada em segunda instância pela Câmara de Recursos da Previdência Complementar (CRPC).

 

Garcia frisou que a atual direção não exerceu qualquer interferência nas deliberações da FACEB que, em Assembleia Geral, deliberou pelo afastamento do Sindicalista. “É importante lembrar que os atuais diretores e conselheiros da FACEB sequer foram indicados por esta diretoria, pois já estavam no comando da entidade quando a atual gestão assumiu a CEB. Eles têm total autonomia para atuar na FACEB, como deve ser”, frisou.

 

Quanto ao pleito do empregado João de retomar suas atividades na CEB-DIS, de acordo com a sua situação funcional,o Diretor-geral se comprometeu a tomar conhecimento da decisão da Diretoria de Gestão Administrativa e reavaliar se for legalmente possível.

 

Em relação à sindicância, Edison Garcia fez questão de destacar que o processo nunca foi arquivado. No caso concreto, foi constatada a necessidade de se realizar novas diligências, posto que a instrução do processo não contemplava a oitiva de pessoas que estavam presentes no fato em apuração pela Comissão de Sindicância.

 

Garcia exaltou o esforço que a atual diretoria tem feito, nesse um ano de administração da CEB-DIS, para recuperar a viabilidade econômica da Companhia. Ao final da reunião, os dirigentes elogiaram a administração da empresa pelo trabalho desenvolvido com o objetivo de recuperar a Distribuidora. A atual gestão, por sua vez, reiterou a sua disposição em manter um diálogo permanente e respeitoso com o sindicato, ainda que existam divergências.

 

Entenda mais

Matéria publicada no Jornal de Brasília relatou, em novembro de 2019, que em decorrência da suspeita de irregularidades no aporte de recursos a uma empresa citada na operação Greenfield (2017), João Carlos Ferreira e ex-dirigentes da Fundação de Previdência dos Empregados da CEB (Faceb) receberam decisão desfavorável da Câmara de Recursos da Previdência Complementar (CRPC), e terão de pagar uma multa de mais de R$ 40 mil, além de sofrer outras penalidades.

 

Além do afastamento por 180 dias de João Dias, o colegiado aplicou uma multa de R$ 40.339,59 (que ainda pode ser reajustado) ao dirigente e aos demais condenados. O colegiado considerou que os funcionários julgados, supostamente, aplicaram recursos em desacordo com as normas vigentes e estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional. Por essa razão, a Câmara negou provimento ao recurso e manteve as penas determinadas pela PREVIC, órgão administrativo vinculado ao Ministério da Economia, em primeira instância.

 

Brasília, 29 de janeiro de 2020.

 

 Outras Notícias...



Voltar