Nota sobre o ajuste no cronograma de desestatização da CEB Distribuição

A Companhia Energética de Brasília informa que o Conselho de Administração da CEB irá se reunir hoje (13) para apreciar as demonstrações financeiras da companhia referente ao 3 trimestre (julho, agosto e setembro) que demonstra os resultados pós período agudo do isolamento social em função da pandemia. Esses resultados são importantes para os investidores avaliarem a resposta da empresa. Optou-se, portanto, pelo reajuste no cronograma de desestatização, para que fosse franqueado aos investidores a oportunidade de analisar esses resultados, que impactam inclusive no valor de negociação na ocasião do leilão.

 

Ainda, o STIU-DF entrou com uma representação junto ao Ministério Público do Trabalho que questiona a seleção interna para o aproveitamento de cerca de 110 empregados da CEB Distribuição para a subsidiária recém-criada CEB Iluminação Pública e Serviços, bem como para manter em operação as demais empresas do grupo CEB que permanecem controladas pelo GDF. Em decorrência dessa representação, a CEB Holding suspendeu a seleção interna para o referido aproveitamento de quadros.

 

O quantitativo de empregados é uma variável importante para análise dos investidores. Considerando que esta representação junto à Promotoria do Trabalho pode resultar em uma judicialização, oferecendo insegurança jurídica ao processo de desestatização, caso não se consiga chegar a um consenso, a Companhia tende a cancelar a migração e realizar a desestatização na integralidade, mantendo 100% dos empregados na Distribuidora. No caso de a desestatização acontecer com a integralidade de funcionários, a CEB holding realizará estudos para suprir a mão de obra por intermédio de um Parceria Público Privada ou pela realização de concurso público.

 

Brasília, 13 de novembro de 2020.

 Outras Notícias...



Voltar